“La Casa Muda” por Gustavo Rojo (produtor)

___________________________________________________________________________

Bom pessoal, novidade aqui no Cinemafia. Já escrevemos em outra ocasião, sobre o filme uruguaio “La Casa Muda”. Sim, esse mesmo. O que foi gravado em quatro dias, com uma câmera digital e exibido em Cannes. Então. Semana passada, Gustavo Rojo (produtor do filme) entrou em contato conosco e pediu que publicássemos um texto escrito por ele a respeito da produção, como também o pôster usado no festival de Cannes. Ele agradeceu o apoio e a divulgação que nós brasileiros estamos fazendo do filme. Gustavo, também agradecemos a você, por ter confiado em nosso trabalho.

Sendo assim, fizemos a tradução, e trazemos para vocês novas informações sobre essa produção que está dando o que falar em 2010. Segue também abaixo, para quem quiser ler, o texto original enviado por ele. Boa leitura.

___________________________________________________________________________

“Hernández (Diretor) habilidosamente utiliza o gênero de terror para comunicar uma emoção única, medo, tão realista como é possível” Deborah Young THE HOLLYWOOD REPORT

“O terror ganha um novo significado com o diretor uruguaio Gustavo Hernandez, em uma estréia impressionante. Como os melhores exemplos do gênero, ele usa o suspense sobre o sangue para criar tensão. Ter realizado tudo isso em uma única tomada é impressionante; ter feito com uma única tomada e apenas uma câmera digital, é quase milagroso”. Lee Marshall SCREEN DAILY

“O filme tem um clima incrível, e usa bem os espaços pequenos e escuros”. Peter Sciretta SLASH FILM

“Há muito talento apresentado aqui”. Todd Brown TWITCH FILM

“Essa entrada impressionante do Uruguai, conseguiu manter o suspense, e fazer  você pular da cadeira. É uma película absolutamente excepcional, que te surpreenderá”. Eftihia Stefanidi THE QUIETUS

“Foi uma conquista técnica e visual jamais vista. Se você é fã de filmes de terror, e pensa já ter visto o incrível, espere para ver este filme. Assista o mais rápido possível”. Alex Billington FIRST SHOWING

Estas e outras tantas boas críticas fizeram com que “La Casa Muda” se tornasse uma das surpresas do último Festival de Cannes, com suas duas primeiras exibições a nível mundial, absolutamente repletas de um público ansioso para ver um filme de terror no tão prestigiado festival.

Após o êxito em Cannes, “La Casa Muda” estreará em salas de cinema em 16 países ao longo do ano. Reino Unido, Alemanha, França, Austrália, Suécia, México, Argentina, Chile, Peru, Equador, Bolívia, Paraguai, Brasil, Colômbia, Taiwan e Uruguai, foram os lugares que confiaram no trabalho de Gustavo Hernández.

Enquanto se finaliza a edição de som e a adaptação para 35mm, “La Casa Muda” foi confirmado em diferentes festivais ao redor do mundo, como o Festival de Cinema Latino Americano de São Paulo, Brasil; o Festival de Cinema de Lima, Peru; Festival de Cinema de Estocolmo, Suécia; Festival de Cinema de Melbourne, Austrália; e o prestigiado Sitges Film Festival que ocorre todos os anos na Espanha.

“La Casa Muda” conta a história de Laura (Florencia Colucci) e seu pai Wilson (Gustavo Alonso), que vão para uma distante casa de campo a fim de reformá-la, já que seu dono em breve a venderá. Eles passam a noite lá, para começarem os trabalhos no dia seguinte. Tudo acontece normalmente, até que Laura escuta um barulho que vem do lado de fora e que se intensifica no primeiro andar da casa. Wilson sobe para verificar, enquanto Laura fica em baixo esperando seu pai. Baseado em uma história real ocorrida em um pequeno povoado do Uruguai, “La Casa Muda” se foca nos últimos 78 minutos, segundo por segundo, em que Laura tenta sair com vida de uma casa que guarda um segredo sombrio.

Dirigido por Gustavo Hernández e produzido por Gustavo Rojo, “La Casa Muda” penetra no terror psicológico tão pouco explorado pela região, contando uma história de arrepiar, em primeiro plano e com características que o tornam único no mercado audiovisual mundial, já que foi filmado em sua totalidade com uma câmera digital, mais especificamente, uma Canon EOS 5D Mark II, o que faz com que “La Casa Muda” se torne o primeiro filme latino americano, e o segundo no mundo a ser filmado com uma câmera de fotos. Por sua vez, a história é narrada em um único plano seqüencia de 78 minutos, sem cortes. O que faz com que seja o primeiro filme de terror no mundo a ser realizado com essa linguagem narrativa particular.

“Plano sequencia”, em termos cinematográficos, é a sequencia filmada em continuidade, sem corte entre planos, em que a câmera se move meticulosamente, gerando ao espectador uma sensação real de compartilhar as experiências vividas pela protagonista.

O filme foi exibido aqui no Brasil no último dia 17, no CineSESC em São Paulo, pelo Festival de Cinema Latino Americano de São Paulo. As próximas exibições serão: dia 25 de julho às 19:00 horas, e dia 31 de julho às 21:15 horas, no Melbourn Film Festival, na Austrália, ambas sendo exibidas no Greater Union Cinema 3; dia 13 de agosto às 20:00 horas, na Sala Azul do Centro Cultural PUCP em Lima, no 14º Encontro Latino Americano de Cinema no Peru.

MEDO REAL EM TEMPO REAL, essa é a proposta de “La Casa Muda”, que lentamente está atingindo todos os cantos do mundo.

Para ficar informado de tudo que acontece com “La Casa Muda”, una-se ao grupo no facebook: http://www.facebook.com/pages/La-casa-muda/190097645539?ref=search

Pôster do filme utilizado no Festival de Cannes

Pôster do filme utilizado no Festival de Cannes

___________________________________________________________________________

TEXTO ORIGINAL

Hernández (Director) habilidosamente utiliza el género de horror para comunicar una emoción única, miedo, tan realista cómo es posible” Deborah Young THE HOLLYWOOD REPORT

“El horror cobra un nuevo significado con el director uruguayo Gustavo Hernández en un impresionante debut… Al igual que los mejores ejemplos del género utiliza el suspenso por encima de la sangre para crear la tensión… Haber realizado todo esto en una sola toma es impresionante; haberlo hecho todo en una sola toma con una cámara digital es poco menos que milagroso” Lee Marshall SCREEN DAILY

“El film tiene un increíble sentido climático y juega bien con la oscuridad y los pequeños espacios.” Peter Sciretta SLASH FILM

“Hay mucho talento desplegado aquí” Todd Brown TWITCH FILM

“Esta entrada impresionante desde Uruguay tiene éxito manteniendo el suspenso y haciéndote saltar de la butaca… Es una película absolutamente excepcional que te sorprenderá” Eftihia Stefanidi THE QUIETUS

“Fue un logro técnico y visual nunca antes alcanzado… Si eres fanático del horror o crees haber visto cinematografía increíble, sólo espera a ver esta película… Mírala cuanto antes!” Alex Billington FIRST SHOWING

Estas y otras tantas buenas críticas, hicieron que LA CASA MUDA se convirtiera en una de las sorpresas del pasado Festival de Cannes, con sus dos primeras presentaciones a nivel mundial absolutamente repletas, de un público deseoso por ver una película de terror en tan prestigioso festival.

Luego del éxito cosechado en Cannes, La casa muda se estará estrenando en salas comerciales en 16 países en el correr del año. Reino Unido, Alemania, Francia, Australia, Suecia, México, Argentina, Chile, Perú, Ecuador, Bolivia, Paraguay, Brasil, Colombia, la lejana Taiwan y Uruguay fueron los lugares donde se animaron a confiar en el trabajo realizado por Gustavo Hernández.

Mientras se está terminando el diseño de sonido Dolby Digital y se realiza el pasaje a 35mm, LA CASA MUDA fue confirmada en diferentes festivales alrededor del mundo, tal es el caso del Festival de Cine Latinoamericano en Sao Pablo, Brasil; el Festival de Cine de Lima, Perú; el Festival de cine de Estocolmo, Suecia, el Festival de Cine de Melbourne, Australia, y el prestigioso Sitges Film Festival que se celebra cada año en España.

LA CASA MUDA cuenta la historia de Laura (Florencia Colucci) y su padre Wilson (Gustavo Alonso) que se internan en una lejana casona de campo con el fin de reacondicionarla, ya que su dueño Néstor (Abel Tripaldi), muy pronto la pondrá a la venta. Ellos pasarán allí la noche, para comenzar los trabajos al día siguiente. Todo transcurre con normalidad hasta que Laura escucha un sonido que proviene de afuera y se intensifica en el piso superior de la casona. Wilson sube a inspeccionar mientras ella se queda sola abajo a la espera de su padre…. Basada en una historia real ocurrida en un pequeño poblado del Uruguay, “La casa muda” centra su relato en los últimos setenta y ocho minutos, segundo por segundo,  en los cuales Laura intentará salir con vida de una casa que encierra un oscuro secreto.

Dirigida por Gustavo Hernández y producida por Gustavo Rojo, “LA CASA MUDA” se interna en el terror psicológico tan poco explorado en la región, contando una escalofriante historia en primer plano y con características que la hacen única en el mercado audiovisual mundial,  ya que fue filmada en su totalidad con una SLR digital, más concretamente con la cámara Canon EOS 5D Mark II, lo que hace que “La casa muda” se convierta en el primer film latinoamericano, y el segundo film en el mundo en grabarse con una cámara de fotos.  A su vez, la historia está narrada en un único plano secuencia de 78 minutos, sin cortes. Lo que la convierte en la primera película de terror en el mundo en ser realizada con este particular lenguaje narrativo.

“Plano secuencia” en términos cinematográficos se denomina a la secuencia filmada en continuidad, sin corte entre planos, en la que la cámara se desplaza de acuerdo a una meticulosa planificación, generando en el espectador la sensación real de compartir las vivencias junto al protagonista.

Las próximas exhibiciones de la película serán en el marco del Festival del Cine Latinoamericano de San Pablo, el sábado 17 de julio a las 23 horas en el CineSESC de dicha ciudad, en el marco del Melbourne Film Festival en Australia, el domingo 25 de julio a las 19:00 hs, y el sábado 31 de julio a las 21:15 hs, ambas proyecciones en el cine Greater Union Cinema 3 de dicha ciudad, y el viernes 13 de agosto a las 20:00 hs en la Sala Azul del Centro Cultural PUCP en Lima, dentro del 14to Encuentro Latinoamericano de Cine en Perú.

MIEDO REAL EN TIEMPO REAL, esa es la propuesta de “LA CASA MUDA”, que lentamente está ingresando en todos los rincones del mundo.

Para estar informado de todo lo que ocurre con LA CASA MUDA únase al grupo en Facebook: http://www.facebook.com/pages/La-casa-muda/190097645539?ref=search

________________________________

Lincoln Ferdinand

8 respostas para “La Casa Muda” por Gustavo Rojo (produtor)

  1. Emmanuela disse:

    Parabéns para a equipe por divulgar um trabalho de evidente qualidade realizado de forma inovadora. Um exemplo de criatividade que demonstra novos meios de fazer cinema.

  2. Igordx disse:

    Tão de parabéns mesmo!! xD
    Divulgando um trabalho que merece realmente uma atenção…

    Continuem assim, trazendo trabalhos legais como dica para cada uma das nossas viotecas particulares. =)

    E tbm decendo o pau nos que não prestam!!! xD

  3. joão paulo disse:

    esse filme promete. o cinema mundial precisa de diretores ousados e criativos como Hernández. parabéns pela ousadia! parabens para o blog tambem, pelo incentivo de mostrar cinema interessante de qualidade.

  4. ezequiel neto disse:

    com o perdão do repetido clichê, mas parece mesmo ser um filme que promete, ousado etc. um bom trailer e imagens que, só com olhos cirúrgicos, é perceptível terem sido gravadas com uma câmera fotográfica – é o que me parece. o blog, mais uma vez, fazendo bons posts e sendo inovador tanto quanto o longa ‘la casa muda’. parabéns.

  5. Bela matéria! Olha aqui a versão legendada do trailer: http://www.youtube.com/watch?v=6TbRh25X7yA

  6. thiago disse:

    o que me deixa intrigado é que a câmera em questão é incapaz de gravar um plano sequência de 75 minutos, pois só recorda de 4 em 4 gb, o que totaliza cerca de 12 minutos por clip.

    presumo que os cortes tenham sido escondidos ao longo do filme, e é um pouco enganador vender o peixe desse jeito…

  7. Patoloko disse:

    Parabéns. Temos mesmo é que valorizar as produções dos nosso vizinhos, que tem tanto talento, ao invés de ficarmos escravos desses enlatados americanizados que só mostram sangue e gemidos. Vamos ser mais inteligentes e aprender a apreciar o simples e o bem feito.

  8. […] original). Já escrevemos bastante sobre o longa nos posts que você enconta clicando aqui e aqui, portanto, passaremos diretamente para os comentários sem falar a […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: