JULHO (TERROR)

_____________________________________________________________________________

Então galera, chegou mais um “Filmes para se guardar e filmes para se queimar”. E neste mês de julho, iremos destacar o gênero, terror. Abordaremos assim, um ótimo e um péssimo filme, desse que é um dos estilos cinematográficos mais apreciados pelo público. Pedimos também que deixem sugestões nos comentários, de temas para os próximos meses. Agradecemos muito a participação de vocês. Boa Leitura.

 

FILME PARA SE GUARDAR – DEIXA ELA ENTRAR (2008)

Indicaremos neste mês um filme que retrata o romance adolescente vivido por um humano e uma vampira. É o “Deixa Ela Entrar”, que, ao contrário do que possa parecer, não compartilha outras semelhanças com o tão comentado filme “Crepúsculo” e seus derivados.

“Deixa Ela Entrar” é um filme sueco que aborda de forma crua os conflitos advindos da rejeição. Apesar de alguns considerarem defasadas as histórias envolvendo vampiros, principalmente depois da recente febre provocada por produções comerciais de pouca densidade destinadas ao público jovem, os chupadores de sangue são criaturas atemporais. Características típicas como a imortalidade, sensualidade e o instinto predador dos vampiros, sempre podem render ótimas histórias, como a do filme em comento. “Deixa Ela Entrar” também possui uma qualidade técnica muito boa, a fotografia é uniforme e os efeitos especiais (que são poucos, porém suficientes) convencem.

Oskar (Kåre Hedebranté) era um garoto de 12 anos que sofria, com freqüência, agressões físicas por parte de alguns colegas de classe. Solitário, tornou-se amigo de Eli (Lina Leandersson), sua nova vizinha que aparentava ter a mesma idade. Ela morava com um senhor, e surgia à noite, sozinha, sem agasalho, perambulando pelo playground do condomínio coberto de neve. Ao mesmo tempo, a pequena cidade onde viviam andava apavorada com a onda de assassinatos em série que vitimava seus habitantes. Esses fatos estavam estritamente ligados à chegada de Eli.

Oskar descobre que Eli é uma vampira e os dois iniciam um esboço de namoro, um relacionamento ainda infantil. Os personagens são bastante antagônicos: Oskar é fraco e vulnerável, Eli é um bicho feroz; Oskar tem a voz suave, Eli tem a voz firme, mais grave que a dele; até as feições dos atores ilustram essa disparidade, pois Oskar tem um rosto delicado, enquanto o de Eli é expressivo, decidido. É nítida a diferença entre uma pessoa que está aprendendo a se defender do mundo, e uma criatura que já conhece seus riscos, e por isso matem uma distancia segura do que pode lhe ferir. Isolados por circunstâncias diversas, passam a contar com a companhia um do outro.

Håkan (Per Ragnar), o senhor que mora com Eli, é um personagem intrigante. Sabemos que ele é humano e possui forte laço de dependência emocional com a vampira. Porém, tudo indica que não há nenhum grau de parentesco entre eles, embora seja essa a impressão passada no início. Em determinado momento, Håkan expressa incômodo com a proximidade de Oskar.  Teria sido Håkan um amor juvenil que envelheceu?  O filme propositalmente não dá essa reposta, portanto, elaborem suas interpretações.

Nesta história com vampiros, os responsáveis pela cena mais tensa do filme são pessoas normais. Na incrível cena da piscina, que pela originalidade já pode ser considerada como emblemática, os garotos inimigos de Oskar realizam uma tortura psicológica lancinante. O resultado disso é uma sangrenta reação, captada pela câmera de maneira peculiar.

FILME PARA SE QUEIMAR – GAROTA INFERNAL (2009)

Brook Busey ficou popular no mundo do cinema, por ter sido condecorada com o Oscar de melhor roteiro original em 2008, em sua estréia.  Alguém já sabe de quem estou falando? Esse filme foi Juno (2007). Agora sabem? Isso mesmo. Brook Busey é o nome verdadeiro da roteirista Diablo Cody. Só para vocês conhecerem um pouco dessa figura inusitada que surgiu de uma hora para o outra, ela se mudou para Minnesota a fim de morar com seu namorado que conheceu na internet, tempos depois se casaram. Trabalhou de stripper e atendente de tele sexo. Enfim. Todos se surpreenderam com sua chegada no mundo do cinema.

Mas é sobre outro filme que nós vamos falar aqui. “Garota Infernal”, lançado em 2009 e dirigido por Karyn Kusama , também carrega um roteiro escrito por Cody. Mas desta vez a história foi diferente. A produção não ficou como se esperava, e muitos se perguntaram o porquê de um filme com roteiro de uma grande vencedora do Oscar, ter ficado tão ruim. Em início de carreira, a roteirista não conseguiu sustentar o sucesso de sua estréia, e cai bastante no conceito de muitos.

O filme conta a história de Jennifer (Megan Fox), uma adolescente líder de torcida, que é dessas garotas super populares no colégio, e deixa qualquer marmanjo de queixo caído. Como de clichê, tem uma amiga não tão bonita quanto ela (Amanda Seyfried), estudiosa, que pensa com a razão, e carrega um carinho muito forte por Jennifer. Certo dia ocorre um incêndio no bar que elas estão, mas conseguem escapar facilmente, assim como a banda (alguns malucos ávidos por sucesso) que se apresentava no local. Como se nada tivesse acontecido (apenas pessoas gritando desesperadamente com fogo no corpo inteiro), a convite do vocalista, Jennifer entra na sua van, e vai para não sabe onde. Sua amiga Needy, preocupada, sensata e com a cabeça no lugar, tenta convencê-la de que não é uma boa ideia, mas ela não ia perder a chance de sair em um carro com cinco roqueiros “bonitinhos”.

Enfim, depois disso (possuída por algum demônio), ela aparece na casa de sua amiga, coberta de sangue e com uma cara de safada (mas isso ela já tem desde o início), vomitando uma gosma preta altamente sinistra. A partir daí, ela passa a atacar todos os garotos da cidadezinha, e a comê-los (literalmente).

Apenas três fatores levaram as pessoas a assistir esse filme. A crença de que Diablo Cody pudesse repetir a dose de Juno, ou até mesmo melhorar, em um gênero totalmente distinto. A paixão pelos filmes de terror, que faz seus fãs esperarem todos os anos por um filme diferente, e que fuja do padrão. E por último, ver Megan Fox em sua personagem de menina má. Creio que, somente os que foram presenciar a atuação da diva, saíram do cinema satisfeitos (ou não).

O roteiro é uma furada, os fãs de Cody me perdoem, mas ela não supriu nem de longe as expectativas. Ela usa (como também em Juno) muitas referências à cultura pop e intertextualidades, o que é sim legal, mas dessa vez ficou em excesso e de uma maneira não bem aproveitada. Os diálogos não envolvem nem um pouco e dão sono. Mas não é apenas o roteiro que falha, as músicas da trilha sonora não casam com nenhuma cena, e em nenhum momento você tem aquela sensação de suspense, que é o que o filme deveria passar do início ao fim. Então, quem ainda não assistiu, faça-se o favor de não assistir. Esperem o próximo de Diablo Cody, talvez ela tenha aprendido.

________________________________

Equipe Cinemafia


14 respostas para JULHO (TERROR)

  1. Jitana disse:

    Fiquei super curiosa pra assistir Deixa Ela Entrar! Deve ser show de bola mesmo… Nada comparado a Crepusculo, claro.. hehe
    Em relação a Garota Infernal, realmente, um filme que faz você sair do cinema com aquela cara de… ãn?

    Parabéns meninos, o blog está cada vez melhor!

  2. Johnny disse:

    preciso assitir o primeiro filme. bom texto.

  3. Igordx disse:

    Garota Infernal – O filme pode queimar, mas deixa a Megan Fox inteira plx ^^’

  4. Natalia Xavier disse:

    Já ouvi falar desse Deixa Ela Entrar, estou curiosa pra ver! Filmes nórdicos são legais =)
    Garota infernal não vi também. Meus conhecimentos pra filmes de terror são péssimos. Assisti um este final de semana que odiei! hehehe

    Bom post!

  5. Gustavo disse:

    Ótima resenha…
    “Deixa ela entrar” é muito , muito bom mesmo.Prende sua atenção do início ao fim e sem fazer uso de personagens “bonitinhos” e trama de novela das 8, com vampiros vegetarianos(?)que brilham, feito purpurina, na luz do sol, lobisomens depilados(?) e afins.O mais assustador é o fato da vampira ser uma criança.Sem querer ser spoiler boy , mas quem for assistir , preste atenção na aparência da Eli quando ela não come…
    E realmente “garota infernal”é um lixo…assisti na TV a cabo faz algum tempo e não lembrava nem o nome de tão traumatizante que foi a experiência.
    Aproveitando o nome do blog , vocês poderiam escrever sobre filmes de…adivinhem???MAFIA^^.Tem vários filmes bons com essa temática.Drama também(“Dançando no escuro” e “Minha vida sem mim” são ótimos e desconhecidos da galera em geral)ou ficção cientifica que é um gênero discriminado pela maioria das pessoas mas que tem ótimos filmes , como Solaris (o original) ou Blade Runner.
    Descobri seu blog hoje e gostei …passarei a acompanha-lo.
    abraçç

    • cinemafiablog disse:

      Opa..
      muito obrigado pela visita e pelas sugestões amigo.
      iremos analisar qual será o próximo tema, e com certeza vamos levar em consideração as suas dicas. O tema do mês de agosto já está meio que definido, mas todo mês é um nvoo né. e é sempre bom ter uma reserva.

      continue sim nos visitando.
      agradecemos muito.

  6. Larissa disse:

    Então,eu vi os dois já,…O Deixe ela entrar,é legalzinhu sim,mas não passa disso,…quem espera muita coisa dessa filme,vai se desapontar,pq não é tudo isso não,…é legal e talz,mas o final fica em aberto,e o filme não é nem um poquinhu de assustar,apenas,é legal a amizade que os personagens tem e talz,só isso,…e o outro nem vou comentar que é podre msm,fico faltando mta coisa desse filme!!!

  7. nick disse:

    Acho que as pessoas deveriam deixar um pouco de lado os filmes “hollywoodianos” e começar a ver mais filmes europeus, asiáticos… O povo gosta de reclamar de tudo que não é americano, qualquer outro filme é “lixo”. Mas não é bem assim…
    “Deixa ela entrar” é realmente um filme que vale a pena ver! Concordo com o Gustavo que por ela ser uma criança é bem assustador. E isso me lembra a “Claudia” em Entrevista com o vampiro, um dos personagens mais fortes, marcantes e assustadores de toda a obra de Anne Rice.
    Só uma curiosidade que todos que gostam de vampiros devem saber, diz a lenda que um vampiro ñ pode entrar em uma casa sem ser convidado, daí o nome do filme.

  8. Tika disse:

    Cara..
    muuuuuuuito legal esse filme..
    ;D
    tpw vamos ver oque espera do remake..
    mas esse primeiro num dava naaaaada pro filme..
    mas me surpreendeu..
    bom mesmo..
    ;D

  9. jessica disse:

    garota infernal foi um dos piores filmes que ja vi! o que a megan fox tem de maravilhosa.. tem de má atriz

  10. ezequiel neto disse:

    as resenhas funcionaram de sobremaneira que guardaria o primeiro filme e queimaria o segundo antes mesmo de assistí-los. parabens ae, abração.

  11. I am really impressed together with your writing abilities well with the layout to your weblog. Is this a paid subject matter or did you customize it yourself? Anyway keep up the excellent quality writing, it’s rare to peer a nice blog like this one today..

  12. […] e apaixonadas (com exceção de “Deixa Ela Entrar”, que é um ótimo filme e já foi analisado aqui no Cinemafia). “The Addiction” (ainda nem tinha dito o nome do filme, sorry) é absolutamente, […]

  13. […] portanto, tendo em vista a semelhança entre os dois filmes, peço que leiam a crítica neste LINK e atentem para as comparações a […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: