Projeto Grindhouse – Parte 1

Planeta Terror


“Planeta Terror” (2007) foi escrito e dirigido por Robert Rodriguez e pertence ao projeto “Grindhouse”. Originalmente, foi exibido em sessão dupla junto com o filme “À prova de morte”, dirigido por Quentin Tarantino, e acompanhado pelos trailers falsos “Machete”(Robert Rodriguez), “Don’t” (Edgar Wright), “Thanksgiving” (Eli Roth), “Werewolf Women of the SS” (Rob Zombie) e “Hobo With a Shotgun” (Jason Eisener, John Davies e Rob Cotterill). Porém, no Brasil, as distribuidoras lançaram “Planeta Terror” separado de “À prova de morte”, acompanhado apenas pelo falso trailer “Machete”, que acabou virando filme em 2010. O projeto “Grindhouse” faz uma homenagem aos filmes de baixo orçamento exibidos em cinemas pulguentos das décadas de 70 e 80. Aqui no Cinemafia, estou lançando uma micro série que analisará o projeto em quatro posts exibidos quinzenalmente. Este primeiro abordará “Planeta Terror”, o segundo, “À prova de morte”, o terceiro, os trailers falsos e o último, o filme “Machete”, que não faz parte do projeto em si, mas nasceu dele.

“Planeta Terror” é um trash de respeito. Tem muitos zumbis perebentos, bastante sangue incrementado com uma quantidade considerável de pus e, por ser um ótimo trash, também é uma bela comédia. O filme é cheio de cenas absurdas que nos dão vontade de participar delas. Quem nunca quis matar uma multidão de zumbis com uma hélice de helicóptero em movimento?

A fotografia é cheia de falhas propositais imitando os rolos daquela época, o som também possui erros característicos dos títulos fuleiros de antigamente, e o roteiro resgata clichês recheados de exageros que nos fazem delirar e soltar urros de êxtase. A história é ambientada em uma pequena cidade do Texas onde um gás tóxico contaminou alguns indivíduos, que viraram zumbis e contaminaram e mataram outros indivíduos, até que apenas um seleto grupo de pessoas sãs passou a lutar unido pela sobrevivência. Nada de novo até então. Contudo, o desenrolar dos fatos e os diálogos dos personagens mostram que, mesmo dentro da moldura já estabelecida para o gênero, a criatividade, nos filmes trash, não tem limites.

Dentre os sobreviventes, temos a médica anestesista com mãos anestesiadas Dakota Block (Marley Shelton), o fora da lei casca grossa El Wray (Freddy Rodríguez), e nossa linda heroína, a striper perneta Cherry Darling (Rose McGowan). Cherry teve a perna amputada em um ataque de mortos-vivos e passou a andar com uma perna de pau, que foi substituída em seguida por uma metralhadora. Essa metralhadora era acoplada a outra arma cujo calibre desconheço, mas que em alguns momentos disparava como uma espingarda calibre doze e em outros como uma bazuca. Mero detalhe, o importante é que Cherry faz tantas manobras legais com a bendita metralhadora que dá até certa inveja do seu cotoco municiado. Contamos com participações especiais como a de Bruce Willis, Quentin Tarantino, e até da Fergie do “Black Eyed Peas”, sumariamente depenada pelos bichos medonhos no início.

O bom filme é aquele que nos convence. Não interessa quantas mentiras serão contadas, o fato é que, se o filme for realmente bom, você acreditará em todas elas durante os minutos em que o assiste. E enquanto assistia “Planeta Terror” eu acreditei, dentre outras coisas, na possibilidade de uma mulher dizimar uma legião de zumbis, acionando mentalmente os disparos de uma metralhadora/espingarda 12/bazuca encaixada no lugar de sua perna direita. Salve Cherry Darling.

Confiram ‘Projeto Grindhouse – Parte 2’ daqui a 15 dias. Até lá.

________________________________

Marcelo Cardins

4 respostas para Projeto Grindhouse – Parte 1

  1. Natalia Xavier disse:

    Assisti A Prova de Morte, mas não cheguei a me interessar mto por este. Ouvi dizerem que é mais fraco, mas não sei ao certo em que aspecto. Ainda vou conferir.

    Abs! e bem vindo de volta a blogosfera!

  2. Kerolinne disse:

    Gennteee, ri mto com esse trailler e com a crítica, mto boa por sinal! fiquei com vontade de assisti-los!
    hehehehe adoro um trashzinho

    ;)

  3. […] originalmente em sessão dupla, junto com “Planeta Terror”, de Robert Rodriguez, já analisado AQUI no Cinemafia por este que vos escreve. O projeto reverencia filmes antigos exibidos em sessões […]

  4. […] originalmente em sessão dupla: “Planeta Terror” e “À prova de morte”, analisados por mim AQUI e AQUI. Entre um filme e outro, foram exibidos quatro trailers falsos, produzidos por diretores […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: