Projeto Grindhouse – Parte 3

_____________________________________________________________________________________

O Projeto “Grindhouse”, encabeçado por Quentin Tarantino e Robert Rodriguez, apresenta dois longas-metragens principais exibidos originalmente em sessão dupla: “Planeta Terror” e “À prova de morte”, analisados por mim AQUI e AQUI. Entre um filme e outro, foram exibidos quatro trailers falsos, produzidos por diretores diferentes. Infelizmente, no Brasil, “Planeta Terror” e “À prova de morte” foram distribuídos separados, e dos trailers, apenas “Machete”, passou por aqui acompanhando o primeiro.

Todos os trailers falsos são exacerbadamente trash, e fazem parte de uma curtição entre amigos. São, acima de tudo, engraçados e possuem leve erotismo, conforme os filmes homenageados pelo projeto, além de conservarem, repito, de propósito, a má qualidade técnica dos filmes de drive-ins das décadas de 1970 e 1980. Analisemos um por um:

Trailers Falsos


Don’t (direção – Edgar Writh): Em filmes de terror, é comum que as vítimas caminhem fatalmente para uma enrascada óbvia. Então, com um pouco de raiva, você solta em voz alta um comentário do tipo “Que loira burra! Depois de tudo, ainda vai entrar nesse porão?”. Pois é. Em “Don’t”, o narrador faz advertências o tempo todo, elas vão se intensificando, e nisso consiste a comicidade do trailer. Obs n°1: Neste trailer é mostrada a reação de susto mais exagerada que eu já vi, é inimaginável. Obs n°2: Prefiro acreditar que a coisa branca que sai dos olhos e das feridas da mulher, é leite.

Werewolf Women of the SS (direção – Rob Zombie): Hitler decide fazer um exército de mulheres lobisomens mediante experiências realizadas no campo da morte número 13. Dentre várias situações inverossímeis, observamos Nicolas Cage, que com todo seu biótipo de japonês, aparece como Fu Manchu, usando uma barbichinha comprada no camelô e gritando “Este é meu templo! Rá, rá, rá, rá!”. Porque ele está de japonês e do que ele está falando, ninguém sabe. Mas, qual o problema? Esse é um trailer, e ainda que não exista filme de verdade para ser lançado, um trailer também serve para despertar a curiosidade. Além do mais, a coerência nunca atingirá sua plenitude em um filme trash. Outra viagem na maionese do metaleiro doidão Rob Zombie.

Thanksgiving (direção – Eli Roth): A data escolhida por um serial killer para matar pessoas na cidade de Plymouth, Massachusetts, não foi a sexta feira 13, nem o Halloween, mas o dia de ação de graças. Esse trailer explora bem os elementos de um filme B dos anos 80, com sangue em abundância, nudez, sacanagem e humor negro. A cena que dá mais aflição é a da loirinha pelada que abre escala na cama elástica (na minha terra chamam isso de abrir escala). Ela não devia ter aberto. O cara que tem a cabeça decepada enquanto sua namorada está com a boca cheia é o diretor Eli Roth, que também fez uma participação em “à prova de morte”. Além de tudo, o serial killer gosta de molestar perus de ceia, observem o finalzinho.

Machete (direção – Robert Rodriguez): Machete foi enganado e usado como bode expiatório. Só não contavam com o fato de ele ser um mexicano arretado que se vingava sem dó nem piedade, e que carregava dentro de seu Sobretudo, no mínimo, trinta e dois facões (sim, eu dei pause e contei). Desconheciam que este indivíduo tinha um irmão padre que sabia separar muito bem as coisas de Deus das coisas desta terra. Desconheciam ainda que, embora fosse feio como a fome, Machete era um pegador invejável. O trailer fez sucesso, virou filme e, seguindo nossa micro série a respeito do projeto Grindhouse, será objeto de análise do meu próximo post daqui a 15 dias. Aguardem.

Hobo With a Shotgun (direção de – Jason Eisener, John Davies e Rob Cotterill): Quentin Tarantino e Robert Rodriguez lançaram um concurso que consistia no envio, por qualquer um de nós mortais, de trailers falsos no formato trash. Após uma avaliação, o vencedor teria direito à exibição de seu trailer junto com os demais trailers falsos do Projeto “Grindhouse”. “Hobo With a Shotgun” venceu, porém não foi exibido em nenhuma sala de cinema. Mesmo assim teve visibilidade e também vai virar filme em 2011, com direção de Jason Eisener. O trailer fala de um mendigo que resolve combater o mal com sua espingarda de grosso calibre.

Em 15 dias teremos a última parte da série “Projeto Grindhouse” com a análise do filme “Machete”, trailer falso que virou longa em 2010. Até lá.

________________________________

Marcelo Cardins

 

3 respostas para Projeto Grindhouse – Parte 3

  1. Excellent post it is really. We’ve been awaiting for this info.

  2. Bruno P. Soares disse:

    o legal eh q machete realmente virou filme a pouquissimo tempo.
    eh realmente legal, minha banda ate tem uma musica sobre o filme q foi feita antes mesmo de realmente ser filme huaehuea
    http://www.myspace.com/anesthesiaofbeer
    caso tenha curiosidade, o titulo eh machete mesmo xD
    e o filme eh muito foda!

  3. […] filme não pertence ao Projeto Grindhouse, mas nasceu de um de seus trailers falsos, já analisados aqui no cinemafia. Foi dirigido por Robert Rodriguez e Ethan Maniquis, inspira-se, tal qual os filmes do […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: