A Garota Ideal (2007)

O indivíduo introvertido é aquele que se sente mais à vontade em seu mundo, em não ultrapassar o limite – que é ele próprio – que separa o individual e o social. Eu não sei o que os mais entendidos dizem a respeito da introversão, mas acho que existem introvertidos e introvertidos – “o oito e o oitenta”. Eu, Ezequiel, sou oito. Ryan Gosling, em A Garota Ideal, faz o papel de Lars, um introvertido do tipo oitenta.

Lars and the Real Girl (título original), conta a história de um rapaz muuito tímido, que mora na garagem vizinha a seu irmão mais velho e sua cunhada (Emily Mortimer) numa cidade pacata interiorana. Quando Lars anuncia sua namorada, assusta, pois isso não era esperado. Mais inesperado ainda era o fato de Bianca, sua namorada, ser uma boneca sexual inflável – segundo ele, era uma missionária meio dinamarquesa, meio brasileira. A reação de seu irmão e cunhada é de susto, claro; mas visto o grau de situação mental de Lars, deram apoio a ele e pediram ajuda à psicóloga Dagmar (Patricia Clarkson).

Com o desenrolar do originalíssimo roteiro, nos deparamos com a aceitação dos moradores daquela pequena cidade com os inusitados namoro e namorada de Lars e, ao mesmo tempo, a aceitação dele de si mesmo. Bianca, além de quebrar paradigmas (pois todos nós sabemos quais as intenções de se ter uma boneca dessas) de uma cidade pequena e tradicional, serve de alavanque para a vida de Lars. Ryan Gosling foi perfeito para o papel, assim como todo o elenco foi bem escolhido: tudo ficou muito natural e fluido frente a uma premissa tão estranha.

Quando assistimos a esse filme, acabamos notando que Bianca não só serviu como suporte para Lars, como também para nós, para aceitarmos aquela situação. É incrível como o roteiro foi eficiente ao ponto de nos fazer ficar tão apaixonados por ela. No início é meio esquisito, engraçado e até incômodo, mas, aos poucos, tudo isso vira pura comoção e envolvimento. É, com certeza, um filme muito sensível.

A mensagem que eu captei foi a seguinte: todos precisamos de uma Bianca em nossas vidas. Uma situação ou outra nos deixa mais desconfortáveis ou nós mesmos nos sentimos desencaixados nelas; não é necessário introversão exacerbada como a de Lars para tal. Esse filme, além de muito bonito, nos ajuda a conhecer mais a nós mesmos.

Todo mundo tem seu mundo. Todos são introvertidos. Ou vocês nunca pararam para pensar que a própria extroversão é, também uma “Bianca”. O extrovertido precisa sê-lo para se socializar. Então, onde ou de que maneira a sociedade te deixa desconfortável e no que você se apega para vencê-la? Em A Garota Ideal, o apoio é uma boneca inflável. Metáfora fina.

________________________________

Ezequiel Fernandes

2 respostas para A Garota Ideal (2007)

  1. licedoa disse:

    Cara, cadê você? Volta!
    =1

    • Cinemafia disse:

      Que bom saber que sentisse nossa falta! Estamos em dívida mesmo, mas é que estamos com dificuldade de manter o blog ativo devido as atividades corriqueiras mesmo. Tentaremos voltar o mais rápido possível! Abraços

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: