Documentário com músicos e críticos ilustres depende de R$ 40 mil em doações para chegar aos cinemas

19/05/2011

________________________________________________________________________________________

A proposta do documentário “Do Jazz ao Samba” é analisar a interação dos diferentes ritmos musicais e a exportação da música brasileira. Os protagonistas são os entrevistados Norah Jones, Willi.I.Am, Jay Kay, Elza Soares, Ivan Lins, entre outros (confira lista abaixo). O longa-metragem que passeia por Nova Iorque, Rio de Janeiro e Salvador tinha previsão de chegada aos cinemas em agosto, porém, está ameaçado de não chegar às telonas por falta de recursos. A alternativa encontrada pelo diretor Bruno Veiga Neto foi abrir a obra para financiamento coletivo, através do site: http://tinyurl.com/dojazz.

Internautas podem doar de R$ 50 a R$ 5 mil, em troca de benefícios como “menção honrosa” e DVDs. O valor, no entanto, só é debitado da conta dos voluntários caso as doações cheguem a um total de R$ 40 mil. A partir de R$ 25 mil, empresas podem patrocinar o filme.

 “O processo de finalização e masterização é caro. Fora a aquisição de direitos. Recebemos propostas de exibição na Holanda, China, Canadá, Estados Unidos e Índia mesmo antes do filme ficar pronto, somente pela divulgação do trailer em inglês. Por isso estamos correndo”, explica o diretor Bruno Veiga Neto.

Iniciado há quase um ano e bancado pelo bolso do próprio Bruno, o filme teve seu ponto de partida num pub de jazz na região do Harlem, nos EUA.

“O St. Nick’s Pub é um dos pontos mais tradicionais da cidade, ele se mantém com muita dificuldade sempre com o objetivo de fazer jazz para a comunidade, é um dos únicos que restam” conta Bruno. Nova Iorque hoje investe mais nas grandes casas como o Carnegie Hall e Village Vanguard, voltado para turistas, cada vez mais distantes da realidade de comunidades negras como o Harlem, Brooklyn e Queens.

Na terra do Tio Sam, embalada pelo sucesso do filme “Orfeu” – premiado pelo Oscar – a música brasileira conquistou novos públicos e o mundo. Levado para a capital musical americana por Stan Getz e Charlie Byrd, o som caiu nas graças de Elvis Presley e Frank Sinatra.

PROTAGONISTAS ‘DO JAZZ AO SAMBA’: Norah Jones, Will.I.am (Black Eyed Peas), Jay Kay (Jamiroquai), Leeolive Tucker, Elza Soares, Diogo Nogueira, Ivan Lins, Marcel Powell (filho de Baden Powell), Marcos Valle, Luís Carlos Mielle, Tárik de Souza, Roberto Menescal, Ivan Lins, Haroldo Costa, DJ Marcelinho da Lua, Jassvan de Lima (Radio WCKR-NY), Mariana de Moraes, Gabriel Improta, Haroldo Costa, Moyseis Marques, Leo Gandelman.

 

SERVIÇO

Blog: http://dojazzaosamba.blogspot.com/

Teaser (english): http://www.vimeo.com/18238921

Como financiar o filme: http://tinyurl.com/dojazz

Produção: Brc1 Produções

 

CONTATO ASSESSORIA DE IMPRENSA ‘DO JAZZ AO SAMBA’: dojazzaosamba@gmail.com
ou (21) 9335-5343 – falar com Gabriel Barreira

________________________________

Do Cinemafia com Ascom.

Anúncios

Inscrições para as Oficinas do V ComunicurtasUEPB

09/08/2010

As inscrições para as oficinas do V Festival Audiovisual de Campina Grande – ComunicurtasUEPB, estarão abertas à partir das 08:00h do dia 13 de agosto no Departamento de Comunicação Social (DECOM) – UEPB. Para efetivar a inscrição serão necessários dois quilos de alimento não perecível que serão doados para a RNP+ (Rede Nacional de Pessoas Vivendo e Convivendo com HIV/Aids) de Campina Grande. Cada pessoa só poderá se inscrever em uma oficina e as inscrições serão feitas por ordem de chegada, sendo a reserva vetada. Todas as oficinas serão ministradas no DECOM, sendo elas:

Oficina de fotografia: Será ministrada pelo renomado diretor de fotografia, e homenageado do festival nessa edição, João Carlos Beltrão. A oficina acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de agosto, das 14 às 17 horas e terá 20 vagas. Para a matrícula nessa oficina, em especial, por ser de caráter mais avançado, será exigido comprovante de experiência, por meio de portfólio, currículo ou RDM. Na quarta-feira (25/08), dentro dessa oficina, terá uma etapa sobre como utilizar a câmera, que será aberta para o público iniciante, e para a qual não será preciso fazer inscrição.

Oficina de roteiro para documentário: Será ministrada por Bertrand Lira, professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e cineasta, nos dias 26 e 27 de agosto, das 14 às 17 horas. Para essa oficina serão disponibilizadas 25 vagas.

Oficina de produção: A produtora Beth Formaggini que ministrará essa oficina, que acontecerá no dia 26, das 14 às 17 horas. 30 vagas estarão dispostas para essa oficina.

Oficina de direção: Torquato Joel, renomado cineasta paraibano, é quem ministrará essa oficina, que acontecerá de 25 à 27 de agosto, das 14 às 17 horas, e contará com 20 vagas.

Oficina de atuação: Maria Gladys, atriz de cinema e televisão de reconhecimento nacional e a não menos renomada produtora Ana Sette serão as oficineiras. Com caráter de workshop será realizada no dia 26, das 14 às 17horas, sendo oferecidas inicialmente 30 vagas.

Oficina de animação: Marão, um dos principais Diretores de animação do país apresentará esta oficina no dia 25 de agosto, das 14h às 17h, sendo disponibilizadas 20 vagas.

Oficina de Roteiro para Jogos Digitais: Natan Cirino, reconhecido diretor cinematográfico campinense, oferecerá sua oficina nos dias 26 e 27.São oferecidas 20 vagas e a mesma acontecerá das14 às 17 horas.

As inscrições estarão abertas até completar o número de vagas disponíveis.

________________________________

Assessoria do Comunicurtas


Divulgada a lista de filmes selecionados no Comunicurtas

04/08/2010

Já foi falado aqui no Cinemafia sobre o Comunicurtas, Festival Audiovisual que acontece na cidade de Campina Grande – PB, com espaço para a exibição de filmes de todo o Brasil, e que tem como principal objetivo, incentivar a produção de filmes locais e regionais. A assessoria do evento divulgou no dia 29 de julho, a lista dos filmes que irão concorrer nas mostras competitivas.  Foram escolhidos 50, dos 387 trabalhos inscritos.

O Comunicurtas terá início no dia 23 de agosto e se estenderá até o dia 27 do mesmo mês. Além das mostras competitivas, irão acontecer oficinas, apresentações culturais e discussões acerca da temática cinematográfica.

Abaixo segue a lista dos filmes selecionados em cada categoria:

Mostra Competitiva “A ideia é…

1- Lista Nota 10 / 00’30” / Animart Comunicação
2- Natal de Aventuras / 00’30” /  Animart Comunicação
3- FICAMP 3 / 00’30” / Agência NOZZ
4- Casa do Agricultor-Lugar Certo / 00’45” / Dabliu A
5- Floresta Máquinas e tratores – A gente faz / 00’60” / Agência NOZZ
6 – SESI – Dia da Indústria / 00’60” / JTP Publicidade
7- Pitaqueiro – Bar do Cuscuz / 00’30” / Dabliu A
8- CESREI – Se arruma / 00’30” / Dabliu A
9 – Officina da Moda – Verão2010 / 00’30” / Mais Propaganda
10- Boulevard Shopping – Super Mãe / 00’30” / Mais Propaganda

Mostra Competitiva “Telejornalismo

1- CENEP – Nova Palmeira / 04’58” / TV Itararé
2- 35 anos do Amigão / 04’58” / TV Itararé
3- Delegado Luthier / 04’43” / TV Correio
4- Educação-Dificuldades / 04’58” / TV Correio
5- Artesanato Lagoa Seca / 02’31” / TV Borborema
6- Cultura do Arroz em São João do Rio do peixe / 03’02” / TV Paraíba
7- Malvinas / 04’59” / TV Itararé
8- Feira de Mangaio / 04’63” / TV Itararé
9- Lourdes Ramalho / 04’57” / TV Itararé
10- Causos de Treze e Campinense / 02’37” / Alunos UFCG

Mostra Competitiva “Tropeiros

1- Campina Grande City / 01’29” / Jorge Elô
2- Dificulnópolis e o alesado desejo de Chico / 20′ / João Martina Neto
3- Família Vidal / 15′ / Diego Benevides
4- O Guardador / 08′ / Diego Benevides
5- La Traz da Serra / 08’33” / Paulo Roberto
6- Aos Vivos / 20′ / Paula Guimarães de Oliveira
7- Dois e Trinta / 20′ / Mercicleide Ramos
8- Amarelo leite / ñ consta tempo na inscrição / Ian Costa
9 – Vírus / 18′ / Matheus Andrade
10 – Homos / 16′ / Juliana Doneda e Wanessa Meira
11- Borra de Café / 18′ / Aluízio Guimarães
12- Az de Copas – Vida e Obra de João Gonçalves / 20′ / Rodrigo Lima Nunes
13- Batom: Meu primeiro Beijo / 08’38” / Altieres Estevam
14 – Apostrofe à Carne / 04’30” / Edilson Sheldon
15- A dor roda / 02’47” / Luciana Urtiga
16- Homens de Lúcia Caus e Bertrand Lira
17- Uma flor na varzea – Mateus Andrade e Mislene Santos
18 – Bode Movie – Taciano Valério

Mostra Competitiva “Brasil

1- Eu Queria ser um Monstro / 08′ / Marão – Rio de Janeiro – RJ
2- Mestre Vitalino e Nós no Barro / 12′ / Alunos da Rede Municipal de Vitória – Vitória – ES
3- Clinch / 12’30” / Estevan Santos – São Paulo – SP
4- Primeira Paróquia do Cristo Sintético / 14’30” / Gabriel Menotti – Vitória – ES
5- O Divino, De Repente / 06’20” / Fábio Yamaji – São Paulo – SP
6- Aos Pés / 18′ / Zeca Brito – Porto Alegre – RS
7- Um Animal Menor / 20′ / Pedro Harres e Marcos Contreras – Porto Alegre – RS
8- O Filme Mais Violento do Mundo / 13′ / Gilberto Scarpa – Belo Horizonte – MG
9- Fome de Bola / 20′ / Isaac Chueke – Rio de Janeiro – RJ
10- À Sombra da Marquise / 07’30” / Vladimir Seixas – Rio de Janeiro – RJ
11- Último Retrato / 10′ / Abelardo de Carvalho (Nenhuma informação)
12- O Som do Tempo / 10′ / Petrus Cariry – Fortaleza – CE

Mostra Competitiva “Estalo”

1- SINTONIZE SE – Dir. Jonathas Falcão
2- DISPENSÁVEL É A MÃE – Dir. Filipe Brito
3- DIA DAS CRIANÇAS  – Dir. Asúeli de Moura
4- UM MINUTO COM A ESTRELA – Dir. Bruno Ribeiro
5- POETA PROFISSÃO MATUTA – Dir. Tiago Germano
6- APRENDENDO A SER FELIZ COM SEU SEBASTIÃO – Dir. Kalyne Almeida

Confiram o trailer de alguns filmes que serão exibidos na “Mostra Brasil” e na “Mostra Tropeiros”:

Saiba mais: www.comunicurtas.com.br

________________________________

Equipe Cinemafia


“La Casa Muda” por Gustavo Rojo (produtor)

20/07/2010

___________________________________________________________________________

Bom pessoal, novidade aqui no Cinemafia. Já escrevemos em outra ocasião, sobre o filme uruguaio “La Casa Muda”. Sim, esse mesmo. O que foi gravado em quatro dias, com uma câmera digital e exibido em Cannes. Então. Semana passada, Gustavo Rojo (produtor do filme) entrou em contato conosco e pediu que publicássemos um texto escrito por ele a respeito da produção, como também o pôster usado no festival de Cannes. Ele agradeceu o apoio e a divulgação que nós brasileiros estamos fazendo do filme. Gustavo, também agradecemos a você, por ter confiado em nosso trabalho.

Sendo assim, fizemos a tradução, e trazemos para vocês novas informações sobre essa produção que está dando o que falar em 2010. Segue também abaixo, para quem quiser ler, o texto original enviado por ele. Boa leitura.

___________________________________________________________________________

“Hernández (Diretor) habilidosamente utiliza o gênero de terror para comunicar uma emoção única, medo, tão realista como é possível” Deborah Young THE HOLLYWOOD REPORT

“O terror ganha um novo significado com o diretor uruguaio Gustavo Hernandez, em uma estréia impressionante. Como os melhores exemplos do gênero, ele usa o suspense sobre o sangue para criar tensão. Ter realizado tudo isso em uma única tomada é impressionante; ter feito com uma única tomada e apenas uma câmera digital, é quase milagroso”. Lee Marshall SCREEN DAILY

“O filme tem um clima incrível, e usa bem os espaços pequenos e escuros”. Peter Sciretta SLASH FILM

“Há muito talento apresentado aqui”. Todd Brown TWITCH FILM

“Essa entrada impressionante do Uruguai, conseguiu manter o suspense, e fazer  você pular da cadeira. É uma película absolutamente excepcional, que te surpreenderá”. Eftihia Stefanidi THE QUIETUS

“Foi uma conquista técnica e visual jamais vista. Se você é fã de filmes de terror, e pensa já ter visto o incrível, espere para ver este filme. Assista o mais rápido possível”. Alex Billington FIRST SHOWING

Estas e outras tantas boas críticas fizeram com que “La Casa Muda” se tornasse uma das surpresas do último Festival de Cannes, com suas duas primeiras exibições a nível mundial, absolutamente repletas de um público ansioso para ver um filme de terror no tão prestigiado festival.

Após o êxito em Cannes, “La Casa Muda” estreará em salas de cinema em 16 países ao longo do ano. Reino Unido, Alemanha, França, Austrália, Suécia, México, Argentina, Chile, Peru, Equador, Bolívia, Paraguai, Brasil, Colômbia, Taiwan e Uruguai, foram os lugares que confiaram no trabalho de Gustavo Hernández.

Enquanto se finaliza a edição de som e a adaptação para 35mm, “La Casa Muda” foi confirmado em diferentes festivais ao redor do mundo, como o Festival de Cinema Latino Americano de São Paulo, Brasil; o Festival de Cinema de Lima, Peru; Festival de Cinema de Estocolmo, Suécia; Festival de Cinema de Melbourne, Austrália; e o prestigiado Sitges Film Festival que ocorre todos os anos na Espanha.

“La Casa Muda” conta a história de Laura (Florencia Colucci) e seu pai Wilson (Gustavo Alonso), que vão para uma distante casa de campo a fim de reformá-la, já que seu dono em breve a venderá. Eles passam a noite lá, para começarem os trabalhos no dia seguinte. Tudo acontece normalmente, até que Laura escuta um barulho que vem do lado de fora e que se intensifica no primeiro andar da casa. Wilson sobe para verificar, enquanto Laura fica em baixo esperando seu pai. Baseado em uma história real ocorrida em um pequeno povoado do Uruguai, “La Casa Muda” se foca nos últimos 78 minutos, segundo por segundo, em que Laura tenta sair com vida de uma casa que guarda um segredo sombrio.

Dirigido por Gustavo Hernández e produzido por Gustavo Rojo, “La Casa Muda” penetra no terror psicológico tão pouco explorado pela região, contando uma história de arrepiar, em primeiro plano e com características que o tornam único no mercado audiovisual mundial, já que foi filmado em sua totalidade com uma câmera digital, mais especificamente, uma Canon EOS 5D Mark II, o que faz com que “La Casa Muda” se torne o primeiro filme latino americano, e o segundo no mundo a ser filmado com uma câmera de fotos. Por sua vez, a história é narrada em um único plano seqüencia de 78 minutos, sem cortes. O que faz com que seja o primeiro filme de terror no mundo a ser realizado com essa linguagem narrativa particular.

“Plano sequencia”, em termos cinematográficos, é a sequencia filmada em continuidade, sem corte entre planos, em que a câmera se move meticulosamente, gerando ao espectador uma sensação real de compartilhar as experiências vividas pela protagonista.

O filme foi exibido aqui no Brasil no último dia 17, no CineSESC em São Paulo, pelo Festival de Cinema Latino Americano de São Paulo. As próximas exibições serão: dia 25 de julho às 19:00 horas, e dia 31 de julho às 21:15 horas, no Melbourn Film Festival, na Austrália, ambas sendo exibidas no Greater Union Cinema 3; dia 13 de agosto às 20:00 horas, na Sala Azul do Centro Cultural PUCP em Lima, no 14º Encontro Latino Americano de Cinema no Peru.

MEDO REAL EM TEMPO REAL, essa é a proposta de “La Casa Muda”, que lentamente está atingindo todos os cantos do mundo.

Para ficar informado de tudo que acontece com “La Casa Muda”, una-se ao grupo no facebook: http://www.facebook.com/pages/La-casa-muda/190097645539?ref=search

Pôster do filme utilizado no Festival de Cannes

Pôster do filme utilizado no Festival de Cannes

___________________________________________________________________________

TEXTO ORIGINAL

Hernández (Director) habilidosamente utiliza el género de horror para comunicar una emoción única, miedo, tan realista cómo es posible” Deborah Young THE HOLLYWOOD REPORT

“El horror cobra un nuevo significado con el director uruguayo Gustavo Hernández en un impresionante debut… Al igual que los mejores ejemplos del género utiliza el suspenso por encima de la sangre para crear la tensión… Haber realizado todo esto en una sola toma es impresionante; haberlo hecho todo en una sola toma con una cámara digital es poco menos que milagroso” Lee Marshall SCREEN DAILY

“El film tiene un increíble sentido climático y juega bien con la oscuridad y los pequeños espacios.” Peter Sciretta SLASH FILM

“Hay mucho talento desplegado aquí” Todd Brown TWITCH FILM

“Esta entrada impresionante desde Uruguay tiene éxito manteniendo el suspenso y haciéndote saltar de la butaca… Es una película absolutamente excepcional que te sorprenderá” Eftihia Stefanidi THE QUIETUS

“Fue un logro técnico y visual nunca antes alcanzado… Si eres fanático del horror o crees haber visto cinematografía increíble, sólo espera a ver esta película… Mírala cuanto antes!” Alex Billington FIRST SHOWING

Estas y otras tantas buenas críticas, hicieron que LA CASA MUDA se convirtiera en una de las sorpresas del pasado Festival de Cannes, con sus dos primeras presentaciones a nivel mundial absolutamente repletas, de un público deseoso por ver una película de terror en tan prestigioso festival.

Luego del éxito cosechado en Cannes, La casa muda se estará estrenando en salas comerciales en 16 países en el correr del año. Reino Unido, Alemania, Francia, Australia, Suecia, México, Argentina, Chile, Perú, Ecuador, Bolivia, Paraguay, Brasil, Colombia, la lejana Taiwan y Uruguay fueron los lugares donde se animaron a confiar en el trabajo realizado por Gustavo Hernández.

Mientras se está terminando el diseño de sonido Dolby Digital y se realiza el pasaje a 35mm, LA CASA MUDA fue confirmada en diferentes festivales alrededor del mundo, tal es el caso del Festival de Cine Latinoamericano en Sao Pablo, Brasil; el Festival de Cine de Lima, Perú; el Festival de cine de Estocolmo, Suecia, el Festival de Cine de Melbourne, Australia, y el prestigioso Sitges Film Festival que se celebra cada año en España.

LA CASA MUDA cuenta la historia de Laura (Florencia Colucci) y su padre Wilson (Gustavo Alonso) que se internan en una lejana casona de campo con el fin de reacondicionarla, ya que su dueño Néstor (Abel Tripaldi), muy pronto la pondrá a la venta. Ellos pasarán allí la noche, para comenzar los trabajos al día siguiente. Todo transcurre con normalidad hasta que Laura escucha un sonido que proviene de afuera y se intensifica en el piso superior de la casona. Wilson sube a inspeccionar mientras ella se queda sola abajo a la espera de su padre…. Basada en una historia real ocurrida en un pequeño poblado del Uruguay, “La casa muda” centra su relato en los últimos setenta y ocho minutos, segundo por segundo,  en los cuales Laura intentará salir con vida de una casa que encierra un oscuro secreto.

Dirigida por Gustavo Hernández y producida por Gustavo Rojo, “LA CASA MUDA” se interna en el terror psicológico tan poco explorado en la región, contando una escalofriante historia en primer plano y con características que la hacen única en el mercado audiovisual mundial,  ya que fue filmada en su totalidad con una SLR digital, más concretamente con la cámara Canon EOS 5D Mark II, lo que hace que “La casa muda” se convierta en el primer film latinoamericano, y el segundo film en el mundo en grabarse con una cámara de fotos.  A su vez, la historia está narrada en un único plano secuencia de 78 minutos, sin cortes. Lo que la convierte en la primera película de terror en el mundo en ser realizada con este particular lenguaje narrativo.

“Plano secuencia” en términos cinematográficos se denomina a la secuencia filmada en continuidad, sin corte entre planos, en la que la cámara se desplaza de acuerdo a una meticulosa planificación, generando en el espectador la sensación real de compartir las vivencias junto al protagonista.

Las próximas exhibiciones de la película serán en el marco del Festival del Cine Latinoamericano de San Pablo, el sábado 17 de julio a las 23 horas en el CineSESC de dicha ciudad, en el marco del Melbourne Film Festival en Australia, el domingo 25 de julio a las 19:00 hs, y el sábado 31 de julio a las 21:15 hs, ambas proyecciones en el cine Greater Union Cinema 3 de dicha ciudad, y el viernes 13 de agosto a las 20:00 hs en la Sala Azul del Centro Cultural PUCP en Lima, dentro del 14to Encuentro Latinoamericano de Cine en Perú.

MIEDO REAL EN TIEMPO REAL, esa es la propuesta de “LA CASA MUDA”, que lentamente está ingresando en todos los rincones del mundo.

Para estar informado de todo lo que ocurre con LA CASA MUDA únase al grupo en Facebook: http://www.facebook.com/pages/La-casa-muda/190097645539?ref=search

________________________________

Lincoln Ferdinand


Cinematecla!

07/06/2010

___________________________________________________________________________

Inicia-se nesta terça-feira (08/06), o projeto desenvolvido pelo premiado pianista e arranjador Ricardo Leão, Cinematecla. O projeto tem o objetivo de apresentar ao público alguns dos mais atuantes compositores no cinema nacional.

Pouco se sabe sobre a trilha sonora de um filme, e muito menos se procura saber. O Cinematecla pretende então, através do olhar do músico sobre a música, mostrar as trilhas envolvidas nos grandes filmes brasileiros.

Ricardo Leão - Idealizador do Cinematecla

O evento terá dez semanas de duração – tendo início no dia 08 de junho, e terminando no dia 10 de agosto – e homenageará grandes nomes da música no cinema nacional. Ocorrerá no Solar de Botafogo – Rua General Polidoro, 180, Rio de Janeiro – RJ.

Lista de homenageados e convidados:

08/6 – David Tygel  (homenageado) e Toni Garrido  (convidado)
15/6 – Sérgio Ricardo (homenageado) e Marcelo Caldi e Fernando Perillo (convidados)
22/6 – Roberto Menescal (homenageado) e Armando Lobo e David Moraes (convidados)
29/6 – Nivaldo Ornelas (homenageado) e Paula Santoro (convidada)
06/7 – Leo Gandelman  (homenageado) e Ricardo Silveira (convidado)
13/7 – Léo Jaime (homenageado) e Érika Martins (convidada)
20/7 – Victor Biglione (homenageado) e Toni Platão (convidado)
27/7 – Wagner Tiso (homenageado) e Zé Renato (convidado)
03/8 – Francis Hime (homenageado) e Renato Braz (convidado)
10/8 – Mu Carvalho (homenageado) e João Caetano  (convidado)

Além das trilhas nacionais, também terão espaço as músicas mais marcantes e memoráveis do cinema mundial.

Cinematecla
Local: Solar de Botafogo – Rua General Polidoro, 180, Rio de Janeiro – RJ
Datas: Toda terça, de 08 de junho a 10 de agosto
Horário: 20h
Preço: R$ 30,00 (inteira) – R$ 15,00 (meia)
Telefone: 2543-5411

________________________________

Equipe Cinemafia


“La Casa Muda” – Filme uruguaio exibido em Cannes

29/05/2010

O que pensar a respeito de um filme de terror que custou 6 mil dólares, foi rodado em quatro dias com uma  câmera fotográfica digital emprestada, e exibido no Festival de Cannes? Levando-se em conta somente as circunstâncias de filmagem e produção, já dá para despertar a curiosidade.

Esse é o caso do filme “La Casa Muda” do diretor Uruguaio Gustavo Hernández, que fez o roteiro com base nas limitações orçamentárias. “La Casa Muda” foi filmado em uma só tomada e propõe medo real em tempo real. Em entrevista ao blog “Cinema e Pipoca”, quando perguntado sobre possíveis comparações ao estilo de “Atividade Paranormal”, Hernández afirma: “Quando vêem ‘La casa muda’, os espectadores se dão conta de que não existe nada em comum entre ‘Atividade Paranormal’, ‘REC’ ou outro filme deste tipo. Talvez, apenas o baixo orçamento. ‘LA CASA MUDA’ utiliza uma linguagem 100 % cinematográfica.”

O filme narra a história real dos últimos 78 minutos de duas pessoas, vítimas de um brutal assassinato, que foram encontradas mutiladas em uma casa de campo no norte do Uruguai na década de 1940. Portanto, fica a expectativa. Assim que assistirmos ao filme – que não tem previsão de estreia nacional – vocês poderão conferir a crítica aqui no Cinemafia.

________________________________

Equipe Cinemafia


Últimos dias para inscrições no Comunicurtas 2010

27/05/2010

______________________________________________________________________________________________

Todos os anos na cidade de Campina Grande – PB, acontece o Festival Audiovisual denominado Comunicurtas, idealizado por quatro estudantes do curso de Comunicação Social da Universidade Estadual da Paraíba – UEPB. Desde sua primeira edição, em 2006, o evento é uma ótima oportunidade para cineastas locais, regionais e nacionais, exibirem suas produções cinematográficas, difundindo e incentivando desta maneira, o cinema no estado da Paraíba e no Brasil.

O premiado diretor campinense André da Costa Pinto, e coordenador geral do festival, conta que a ideia surgiu enquanto viajava com seus colegas para realizar a pesquisa de um curta. André, que ficou conhecido nacionalmente pelo curta/documentário “Amanda e Monick (2007)”, atualmente aguarda a concretização do seu primeiro longa, “Tudo que Deus Criou”, que terá estréia ainda este ano.

Pôster de "Amanda e Monick (2007)"

As inscrições para as mostras competitivas do Comunicurtas 2010, que irá homenagear o diretor de fotografia paraibano João Carlos Beltrão, começaram no dia 25 de março e terminam dia 05 de junho. O regulamento e ficha de inscrição encontram-se disponíveis no site www.comunicurtas.com.br. Poderão ser inscritos filmes nas seguintes categorias:

Mostra Competitiva “Tropeiros da Borborema”: serão aceitos vídeos produzidos por realizadores naturalizados paraibanos, filmes rodados na Paraíba de até 20 minutos.

Mostra Competitiva “Brasil”: para trabalhos de até 20 minutos produzidos em qualquer estado do país.

Mostra Competitiva “Estalo”: para trabalhos de até um minuto de duração produzidos por realizadores naturalizados paraibanos.

Mostra Competitiva “A ideia é…”: está aberta a todos os profissionais, esttudantes e agências publicitárias da Paraíba.

Mostra Competitiva “Tropeiros do Telejornalismo”: serão aceitas tele-reportagens com até cinco minutos de duração, abordando qualquer conteúdo.

O Festival será realizado entre os dias 23 e 27 de agosto, e suas inscrições estão com os dias contados. Portanto, se você tem algum filme que se encaixe em alguma das categorias acima, não perca tempo, acesse o site do evento e se informe. Pode ser uma grande chance de o Brasil conhecer mais um novo e talentoso cineasta.

www.comunicurtas.com.br

________________________________

Equipe Cinemafia